Token não fungível e a proteção da floresta Amazônica

Token não fungível e a proteção da floresta Amazônica

O nascimento de um projeto brasileiro propôs a combinação da tecnologia de token não fungível (NFT) (são mercadorias únicas e insubstituíveis) com a proteção da floresta amazônica. O projeto se chama NFT Amazônia, desenvolvido pela organização NFMarket, e o nascimento desta organização teve como foco a criação e desenvolvimento do mercado de NFT no Brasil.

“Nos últimos anos, o número de pessoas e empresas doando para proteger a Amazônia aumentou significativamente. Mas com esse movimento, uma questão também aumentou: para onde vai o dinheiro? Como é usado? Como posso monitorar meu investimento na perpetuação do planeta? No atual modelo de doação e parceria, toda rastreabilidade fornecida é o nome da instituição que recebe o recurso, ou seja, o doador confia em sua integridade ”, destaca o desenvolvedor do projeto.

Para mudar esse quadro e dar mais credibilidade ao processo de doação de recursos na proteção da Amazônia, o primeiro produto do programa é o NForest, uma obra de arte única que retrata árvores, animais, lendas e objetos comuns da vida amazônica serão criados por vários artistas.

“No caso das árvores, essas artes na forma de NFTs serão automaticamente integradas ao plantio de árvores reais, imortalização de florestas e criação de NFTs com lastro real durante o processo de plantio. Eles serão os primeiros lotes. As árvores são plantadas através do NFT da Amazônia “, disse o desenvolvedor.

O trabalho de campo, plantio da floresta, será realizado pela equipe da EcoViva Amazônia localizada na região do Rio Arapiuns, na comunidade Coroca em Santarém, Pará, Amazônia. O NFT é vendido na plataforma OpenSea.

“Para que você entenda a relevância desse projeto para a nossa floresta, no âmbito virtual que disponibilizamos, somar seu lastro proporcional a 1 hectare de área protegida real equivale a cerca de 300 árvores plantadas em 10 mil m².”, destaca Bruno Riberti, sócio fundador e diretor executivo da NFT Amazônia.

Segundo Thiago Valadares, CEO da NFMarket Agency, na Floresta Virtual, toda árvore efetivamente plantada terá suas coordenadas de localização (via Google Maps) e será reconstruída virtualmente em ambiente digital, onde é possível fazer um tour virtual guiado pela Curupira (personagem do Folclore brasileir, protetora da floresta).

“Dessa forma, é possível determinar quais espécies de árvores foram plantadas por meio de seus respectivas fichas técnicas, que contêm importância biológica e os subprodutos delas extraídos, proporcionando rastreabilidade e segurança para quem contribui com os interesses da Amazônia por meio deste projeto “, comentou Valadares.

Notícia completa em cointelegraph

Gabriella de Gregori

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *