teams for virtual desktop the fast remote desktop application – anydesk adobe photoshop cc 2019 download windows 10 any desktop app free download photoshop free download for pc crack

PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA DEVE INJETAR R$ 716,6 bi NA ECONOMIA EM 2020

PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA DEVE INJETAR  R$ 716,6 bi NA ECONOMIA EM 2020

O valor recorde foi calculado pelo Ministério da Agricultura, que prevê aumento de 8,7% na renda no campo.

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) é um indicador de desempenho da agropecuária. É considerado também um indicador do faturamento. Com atualizações mensais, seu cálculo é efetuado para os estados e regiões brasileiras, com dados de 21 produtos de lavouras e cinco atividades da pecuária. O VBP é obtido pela multiplicação da quantidade produzida pelo preço recebido pelo produtor. Como as estimativas de safras divulgadas mensalmente referem-se à previsão para o ano, a estimativa do VBP também é anual. Na pecuária, como as informações do IBGE são trimestrais, a cada três meses, são atualizadas as informações de quantidades.

A fonte de dados de produção é do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) do IBGE. Para os produtos da pecuária, a fonte também é o IBGE. Os preços são da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) e CEPEA – USP (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), órgão da Universidade de São Paulo. Os valores reais são obtidos com o uso de IGP-DI da Fundação Getúlio Vargas.

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de 2020, que reflete a renda do setor dentro da porteira, deve crescer 8,8% e atingir R$ 716,633 bilhões neste ano, segundo cálculos do Departamento de Crédito e Informação da Secretaria de Política Agrícola, do Ministério da Agricultura. A projeção, que leva em conta as estimativas de safra e os preços praticados em junho, prevê aumento de 11,6% no valor da produção das lavouras (para R$ 479,987 bilhões) e crescimento de 3,4% na renda do setor de proteínas animais (para R$ 236,646 bilhões).

O aumento da renda da produção agrícola segundo os técnicos do Ministério da Agricultura se deve principalmente aos bons desempenhos do valor da produção de arroz (12%), soja (19,8%), milho (13,7%), café (39,3%) e laranja (9,8%). José Garcia Gasques, coordenador da pesquisa, explica que além safra de grãos, os preços também são um fator importante na garantia dos resultados que vêm sendo observados.

Ele observa que o valor da produção do milho e da soja registraram os maiores valores da série histórica iniciada em 1989: R$ 76,1 bilhões e R$ 173,5 bilhões, respectivamente. No setor de proteínas animais, o crescimento da renda vem sendo estimulado pela carne bovina (11,8%), carne suína (5,6%) e ovos (15,5%).

Gasques comenta que outros produtos têm apresentado bom resultado, como amendoim, cacau, cana-de-açúcar, feijão e trigo. O comportamento dos preços tem sido pouco favorável a culturas como algodão herbáceo, banana, batata inglesa, mamona, tomate e uva. Ele lembra que o setor de proteína animal tem sido beneficiado pelas boas condições do mercado internacional. De janeiro a junho deste ano, as exportações de carnes, bovina, suína e frango geraram uma receita de U$ 8 bilhões. Nesse período, as exportações de soja geraram U$ 23,928 bilhões.

Os resultados do VBP regional indicam Mato Grosso liderando o ranking com 17,5% do valor, seguido do Paraná (12,8%), São Paulo (12,7%), Minas Gerais (10,7%) e Goiás (8%).

Matéria consultada em revista globo rural.

Eduarda Santana Soares

Bolsista PET AgroFlorestal CPCS e Discente de Agronomia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.