Em busca constante de inovação: a evolução da biotecnologia do milho

Em busca constante de inovação: a evolução da biotecnologia do milho

A produtividade é o resultado da escolha adequada do germoplasma, do uso e manejo de práticas agrícolas e das condições climáticas que, dentre os três elementos, é o único que o agricultor não pode controlar. 

Cada semente de milho traz consigo um conjunto de características selecionadas e desenvolvidas pelo uso combinado de estratégias de melhoramento clássico, uso de ferramentas genômicas e das ferramentas de biotecnologia, como é o caso da transgenia. 

Os híbridos de milho da Bayer são avaliados em condições ambientais de cultivo específicas que determinam o ciclo, arquitetura de planta, resistência a acamamento/quebramento e tolerância a doenças e pragas, buscando assim customizar a variedade aos desafios que os agricultores enfrentam em suas regiões. Este processo de seleção e melhoramento é contínuo, com atualizações às necessidades presentes e futuras dos produtores rurais, buscando sempre maiores produtividades, com sustentabilidade econômica e ambiental. 

O desenvolvimento de uma nova biotecnologia – identificação e introdução de genes de uma nova proteína para o controle de insetos-praga no germoplasma – é um processo de alta complexidade e intensa colaboração, envolvendo no processo de experimentação uma série de normativas e legislações que regulam aspectos de segurança ambiental e de saúde humana. Por esta complexidade e o longo tempo envolvido (em torno de 10 anos), este processo é também algo que ocorre de forma contínua. 

Desde 2008, a Bayer vem trabalhando no lançamento e aperfeiçoamento de biotecnologias no milho. Na safra 2020/21, a empresa lançou comercialmente a tecnologia VTPRO4®, que garante máxima proteção contra lagartas – no cartucho e no colmo -, maior proteção contra pragas das raízes, proteção contra danos às espigas e maior eficiência e flexibilidade no controle de plantas daninhas. Isso tudo, combinado com um germoplasma elite, garante maior proteção aos desafios sanitários e potencial produtivo. 

Já estamos trabalhando nas próximas gerações de biotecnologias para o milho. É importante lembrar que isso ocorre de forma contínua e não é desencadeado por possíveis reduções na eficiência das tecnologias. A tecnologia VTPRO3®, que antecede a nova tecnologia lançada, ainda garante níveis adequados de controle contras insetos-praga e deve ser considerada como ferramenta importante no manejo das lavouras de milho. Para isso, é necessário entender as dinâmicas das populações de insetos na área (espécies e níveis populacionais) e opções de manejo disponíveis (inseticidas). 

Com o lançamento contínuo de tecnologias, buscamos trazer mais opções para os agricultores. Assim, de acordo com as necessidades específicas, nossos clientes têm condições de escolher o conjunto ‘germoplasma & tecnologia’ mais adequado para a sua lavoura. Para isso, sempre será importante o papel do engenheiro agrônomo, consultor ou dos nossos pesquisadores de desenvolvimento de mercado, que podem auxiliar na escolha do híbrido. 

Nossa missão em pesquisa & desenvolvimento é garantir que, juntos com os agricultores, possamos evoluir e alcançar novos patamares de produtividade, mesmo em ambientes cada vez mais desafiadores. A lucratividade das lavouras e a sustentabilidade dos sistemas de cultivo nos guiam, nessa busca contínua por inovação. 

Dr. Pierri Spolti é agrônomo e, atualmente, lidera o time de melhoramento de milho para o Brasil na Bayer Crop Science 

FONTE: Portal do Agronegócio 

Gleciane Aparecida Valério dos Santos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.