Elevação dos preços da arroba do boi gordo arroba no país

As altas na arroba do boi gordo ocorrem, segundo o Cepea, por causa da baixa oferta de animais para abate. “Embora os pastos ainda não tenham se recuperado totalmente em muitas regiões, os bons volumes de chuvas dos últimos meses já favoreceram as pastagens, o suficiente para fazer com que alguns pecuaristas mantenham os animais no campo, restringindo ainda mais a oferta”, diz o relatório. Do lado da demanda, apesar de a China ter liberado a entrada da carne que havia sido enviada pelo Brasil antes da confirmação dos dois casos atípicos de “vaca louca”, no início de setembro, o embarque de novos lotes segue suspenso.

O mercado físico de boi gordo registrou preços mais altos nesta quinta-feira (25/11). Segundo o analista da Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, já há sinais de acomodação na escalada dos preços. “Em São Paulo, por exemplo, os frigoríficos voltaram a operar com escalas de abate mais confortáveis. Já em Minas Gerais e no Mato Grosso, o movimento de alta ainda acontece de maneira consistente. Os frigoríficos desses estados voltam a encontrar maior dificuldade na composição de suas escalas de abate”, assinalou o analista.

A oferta de animais terminados no geral é restrita. “Quando se trata de animais terminados em pastos, a decisão de venda do pecuarista tem um peso maior”, esclareceu.

Com isso, em São Paulo, Capital, a referência para a arroba do boi ficou em R$ 319 – R$ 320 na modalidade à prazo, ante R$ 318 na quarta-feira. Em Goiânia (GO), a arroba teve preço de R$ 315, contra R$ 315. Em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 311 contra R$ 310. Em Cuiabá, ao valor foi de R$ 303, ante R$ 301. Em Uberaba, Minas Gerais, preços a R$ 325 por arroba, ante R$ 320.

Fonte: Canal Rural 

Maria Giulia Hayashi

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.