Canal Rural e Associações promovem Projeto Mais Milho

Canal Rural e Associações promovem Projeto Mais Milho


Primeiro encontro virtual será na próxima quinta-feira, 7, e discutirá a pandemia do novo coronavírus e os efeitos sobre a demanda do grão.

De maneira a trazer informações aos produtores de milho, discutindo temas relevantes para o setor nesse momento tão delicado e de tantas incertezas com a pandemia do novo coronavírus, o Canal Rural juntamente com a Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho), Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat) e da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Grosso (Aprosoja-MT) realizam o Projeto Mais Milho, sendo que este compreende uma série de lives transmitidas no site, Facebook e Yotube do Canal Rural a partir das 20 horas (horário de Brasília).

O projeto é patrocinado pela Indutar, que há mais de 20 anos contribui para o aumento da produtividade no mercado nacional e internacional, Ihara, que ajuda os produtores brasileiros a protegerem suas lavouras contra pragas, doenças e plantas daninhas, Amarok, parceira dos produtores rurais dentro e fora das porteiras, e ainda conta com o apoio da Dekalb, destaque no segmento de sementes de milho e sorgo. 

A apresentação das lives será feita pelo vice-presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho), Glauber Silveira, que, já na próxima quinta-feira, 7, recebe o analista da consultoria Safras & Mercado Paulo Molinari, o consultor da Brandalizze Consulting Vlamir Brandalizze e o consultor em gerenciamento de riscos da INTL FCStone sobre o mercado de milho, Étore Baroni. Os especialistas irão debater o tema: novo coronavírus e os efeitos sobre a demanda.

No dia 14, o tema será as relações internacionais o cenário político para a cultura do milho. Já no dia 21 de maio, especialistas do setor irão tratar os impactos da crise do etanol no milho e, no dia 28, o encontro abordará as inovações para a máxima produtividade.

Segundo relatório da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), no Brasil, terceiro produtor mundial de milho, o destaque é a segunda safra, com volume de 75,43 milhões de toneladas previstas para a temporada 2019/2020. Consoante o consultor da Brandalizze Consulting, Vlamir Brandalizze, “o aumento na área cultivada com o milho na safrinha desse ano foi um dos destaques, especialmente em Mato Grosso, maior produtor do cereal na segunda safra. Tínhamos um potencial para alcançar entre 80 a 85 milhões de toneladas do grão, porém, a estiagem registrada no Paraná, partes de São Paulo, sul de Mato Grosso do Sul, sudoeste de Goiás e algumas regiões de Mato Grosso, afetou o rendimento das lavouras. Acreditamos em uma safrinha próxima de 75 milhões de toneladas”. Também, conforme dados da Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec), o país também ocupa lugar de destaque nas exportações, com previsão de embarcar mais de 31 milhões de toneladas em 2020.

Segundo relatório da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), no Brasil, terceiro produtor mundial de milho, o destaque é a segunda safra, com volume de 75,43 milhões de toneladas previstas para a temporada 2019/2020. Consoante o consultor da Brandalizze Consulting, Vlamir Brandalizze, “o aumento na área cultivada com o milho na safrinha desse ano foi um dos destaques, especialmente em Mato Grosso, maior produtor do cereal na segunda safra. Tínhamos um potencial para alcançar entre 80 a 85 milhões de toneladas do grão, porém, a estiagem registrada no Paraná, partes de São Paulo, sul de Mato Grosso do Sul, sudoeste de Goiás e algumas regiões de Mato Grosso, afetou o rendimento das lavouras. Acreditamos em uma safrinha próxima de 75 milhões de toneladas”. Também, conforme dados da Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec), o país também ocupa lugar de destaque nas exportações, com previsão de embarcar mais de 31 milhões de toneladas em 2020.

Fonte: Canal Rural

Henrique Moura

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.