A Liberação de novos produtos agrotóxicos no Brasil em 2019

A Liberação de novos produtos agrotóxicos no Brasil em 2019

Com as diversas pragas e doenças que assolam a agricultura brasileira, se discute muito a respeito dos agrotóxicos utilizados para o manejo dessas pragas e doenças. No ano de 2019, o atual governo liberou a comercialização de 121 produtos até o mês de abril, publicado no diário oficial no dia 21 de março, com uma média de 1 agrotóxico liberado por dia. Só no mês de março foram mais de 35 registros de agrotóxicos, sendo que 6 produtos são considerados “extremamente tóxicos” a saúde humana.

Campeã de registro de produtos “extremamente tóxicos” em 2019, a suíça Syngenta estreará a marca Switch no mercado brasileiro, nome comercial do fungicida cyprodinil, indicado para o cultivo de soja, algodão e girassol, além de frutas como laranja, morango, pêssego e uva. O produto também é usado na produção de itens básicos da alimentação dos brasileiros, como feijão, alface e tomate.

Não só a Syngenta, mas outras gigantes no mercado de agrotóxicos também participam da lista das empresas que conseguiram liberação de algum produto em 2019, entre elas: Basf S.A., Arysta Lifescience do Brasil, Volcano Agrociência, Nortox S.A., entre outras.

O ponto a se discutir é sobre os riscos que a liberação desses produtos podem trazer não só para a saúde humana, mas também para a agricultura em geral, por exemplo no quesito de pragas, registrando o mau uso dos produtos pelos próprios produtores, que por vezes não aplicam de maneira correta, e acabam induzindo a resistência dos insetos aos inseticidas existentes, esse exemplo também se aplica ao manejo das plantas daninhas, onde muitas já apresentam resistência aos produtos comercializados atualmente. E outro ponto crucial que se leva em discussão é o ambiental, pois esses produtos podem acabar poluindo o meio ambiente e contaminando rios e mananciais que abastecem cidades inteiras.

Então é um assusto a ser analisado com muito cuidado, tendo que ser visto os dois lados da moeda, o produtor que precisa de recursos para garantir a produção e consequentemente o alimento na mesa do povo; e a agricultura sustentável, que busca produzir agora, mas dando condições que permitam continuar produzindo no futuro.

Por: Bruno Henrique Florio Silva

Acadêmico do 7° período de Agronomia UFMS – Chapadão do Sul

Fonte: De olho nos ruralistas

Bruno Florio

2 comentários sobre “A Liberação de novos produtos agrotóxicos no Brasil em 2019

  1. Esse é um assunto que deve ser discutido por toda a população, esse tipo de decisão não pode acontecer as escuras. Parabéns pela iniciativa. Continuem assim!

    1. Não adianta nada mesmo, liberar se não for para ser bem utilizado e com possível risco para nos consumidores. Tem que alertar a população. estão de parabéns!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.